sábado, 8 de novembro de 2014

PSICOLOGIA - Sobre o Amor Desamor


 SOBRE O  AMOR DESAMOR  :
Acho  o Amor verdadeiro uma plantinha tão tênue e indefesa que muitas vezes temos que tirá-la do sol escaldante  e , algumas vezes,  expô-la a um sol   fraquinho e  benfazejo para rejuvenecê-la dando-lhe vida  .  Este é o segredo : fazer a coisa certa no momento certo. E não esquecer de aguá-la  com delicadeza e diariamente para que esta plantinha não morra de sede e ressecada. Afinal, " o amor é uma flor roxa que nasce no coração do trouxa! "
 Amar é muito difícil, é muito cuidadoso, é muito perseverante.Quem ama cuida  mas o amor nos  dá as maiores e piores coisas  que uma   pessoa  esposada  com ele   já recebeu na vida em  nome do próprio  Amor. Tentamos   sobreviver a tudo isto muitas vezes renascendo  pelos alguns  momentos de carinho, muitas vezes  morrendo pelas lembranças,  encravadas como punhais,   de carinhos alheios e insanos a outras pessoas com as quais o outro  se apaixonou, pecaminosa e em desatino , na carne e na  alma !Como se o AMOR  fosse culpado  de tanta perfídia e de tanta sandice partindo de uma pessoa com dignidade moral , também de sólida  convicção religiosa   e temente a Deus . Como pôde? Onde estava Deus ? Afugentado pelo Diabo ou pelo braseiro escaldante da paixão insana ? Deus, com absoluta certeza , só   não devia estar é nesses corações  satânicos !
 Nosso coração tem um enorme buraco sangrante onde tentamos enterrar as coisas ruins  ao mesmo  lado de coisas maravilhosas que  vieram do outro .
E, sinceramente,  a dor desta absurda convivência entre o que foi bom e o que é ruim  resulta num ser patético , às vezes  saudoso do que foram, às vezes  detestando saudades indeléveis da outra  pessoa que  nunca antes conhecera  e que existe dentro dela, nos  atormentando dia a dia  ! Ela  é o nosso sonho! Ela  é o nosso pesadelo ! E somos o resultado de tudo isto: uma pessoa que se  ama mas  que não  poucas   vezes se detesta! Amar é  suportar ! E se suportar ! Sei que se  fôssemos  uma  ' daquelas ' outras pessoas  seríamos  mais Felizes e realizadas. Desculpemo-nos também por isto pois  um dia tudo se acaba e o ser amado  voltará cruel e nuamente  em sua essência a ser o que é ! Pois a maior infidelidade amorosa é ser infiel a si mesmo ! Ninguém é de ninguém. Ou seja todos  somos  de todos , na promiscuidade Babel da linguagem da vida e do amor carnal .
Então, fiquemos com Deus e com nosso  amor de perdição, nosso amor de salvação. E viva o amor ! Vivendo e vivenciando você antes de tudo ! AME-SE! Quem não se ama, se esparrama sobre o outro . E não mais sobre sobre si mesmo ...
NelAntonio

Nenhum comentário:

Postar um comentário