quinta-feira, 11 de junho de 2015

Mulheres sós...

Há mulheres sózinhas  e bem acompanhadas de si mesmas. Cumpliciam um relacionamento sério consigo mesmas. Têm os pés calcados  na realidade, já viveram  e sofreram muitos sonhos  e aprenderam que amadurecer  é um aprendizado constante. Deixaram de ser adolescentes tresloucadas  e se fortaleceram com  as lições da vida. Preferem estar sós  a mal acompanhadas. Por não carecer da corte masculina , pois se bastam  a si mesmas, assumem alguns cabelos brancos aparentes, não disfarçam as rugas  e as dobrinhas-pneus  no corpo, orgulhosamente proclamam a idade  contida em sua identidade , desmentem que a juventude está no espírito mas , sim , em atitudes de liberdade e de  amor próprio, ,  não carregam os olhos  com mil borrões  que fazem suas faces anamariadas  e plastificadas,  abusam dos tons vermelhos-paixão nos lábios pés-de-galinha e do velho rouge  que tinge suas maçãs  do rosto a la maçã  da inocente Branca de Neve. Seu sorriso é sempre largo e horizontal contra os sorrisos verticais das plastificadas .
São independência ou morte ! Andam sozinhas, dirigem  seus carros com os vidros abertos, som alto e chamativo e têm o olhar  firme  e direcionado para a frente e para o alto , sem o costumeiro olhar de galinha quando vê minhoca das solteironas desesperadas ao emparelhar com um vistoso carro ao lado de um belo homem desacompanhado e denotando  seriedade . 
Mulheres sós bebem o néctar da vida  em pequenos goles, sem se embriagar  com a ilusão  de relacionamentos dúbios e carnais  e que não vão levar a nada ! Se pintar   vez e outra  um namoro casual, " en passant ", despreocupado e inconsequente, sem apegos extremados, por que não? Afinal , ninguém é de ferro! Também, gozar por alguns segundos  é menor  que gozar uma vida integralmente e por inteiro a seu modo. Relacionamentos duradouros  sempre são sufocantes  e asfixiam  a liberdade de se viver como se quer, pois trazem a coleira do apego que nos atará a outrem como animais domesticados e dóceis ao comando . Águias amarradas aos pés uma à outra  impedem o voo e encurtam o firmamento antes  infinito. .
Apaixonadas por si mesmas, sabem amar amando-se  profundamente. Difícil penetrar a alma destas  mulheres convictas e cheias de si . Pois quem está Feliz e em Paz  consigo mesma não precisa se completar  com mais nada. São inteiras e se  esparramam pelo mundo   sua autonomia, dignidade,  autoestima elevada ao cubo e uma sensação única de ser amada como nunca. Por si mesma ! Existe melhor escolha ? E pra que mais?

Nelson Antonio, médico de almas. 

                                    


( Tento ler a alma  das mulheres que se desnudam aos meus olhos ginecológicos  )



2 comentários: