domingo, 12 de dezembro de 2010

ACRÓSTICO À LISEMARA







Acróstico à Lisemara

nelson antonio






Lí em tua alma,
Infantil e delicada,
Sonhos não sonhados
Escondidos com cuidado...
Mas devagarinho
Abrindo-te o coração
Revelaste-me bem lá do fundo :
- A amo com emoção!

Rí como um bêbado de alegria,
Inventei pela rua acrobacias,
Tropeçava à luz tênue da lua
Tentando abraçar a todo mundo!...
Entornando-me de amor pela vida
Ria de mim mesmo em insana euforia.

Rostinho assustado e surpreso,
Instantes depois me corrigiste
Tinhas amor mas era pelo teu Fritz ...
Zanzando abatido e cabisbaixo
Eu minguei com a lua que se escondia
Levando minha alma à morada da agonia

Nenhum comentário:

Postar um comentário