domingo, 12 de dezembro de 2010

Saudades do namorar


Saudades do namorar.

Nelson Antonio








Saudades de seu perfume adolescente,
uma lavanda juvenil que se misturava ao meu Lancaster,
Emanando das orelhas e de seu colo de mocinha
Onde uma correntinha de ouro era o brinquedo preferido
De meus dedos que iam, furtivamente,
vencendo a resistência de seu sutiã armado
Até que tocassem a ponta rósea de seus seios de menina...arrebitados.
Aí você se levantava do sofá, colocava outro long-play do Roberto na vitrola
Para cortar o clima que nos envolvia em mil beijinhos na boca,
Em mãos atrevidas pelas suas coxas roliças e perfeitas,
Olhos perdidos dentro dos olhos perdidos do outro...
Saudades deste doce namorar, inconsequente, meninos
Corações se entregando e corpos arfantes, se esfregando ,efervescentes e contidos.
Saudades de mim, de ti, de nós! Juventude... e seu tempo.
Tempo em que o amor era um botão de rosa em nossos lábios...
Tempo em que roubávamos para nós todo o tempo do mundo
E a vida corria rápida em nossas vidinhas simples e afobadas.
Tempo em que éramos inocentes, contidos,consequentes, amorosos.
Tempo em que não havia tempo em que não nos incluíamos um na vida do outro.
Tempo em que só se era Feliz ao lado do outro
E que contávamos minutos para que nos entregássemos a este doce namorar.
Hoje ... saudades deste namorar.
Do menino que fui. Da menina que ainda teima em você. E no nosso amor.
Saudades deste amor que ainda está aqui perto de mim.
Pois está dentro de mim ...
E , ás vezes, dentro de você.
Como uma vela trêmula iluminando orações .

Nenhum comentário:

Postar um comentário