domingo, 12 de dezembro de 2010

E foi assim...


E foi assim...


Nelson Antonio( médico de mulheres ... dedico às mulheres sensíveis )


E foi assim... brigas constantes,gritos abafados,lágrimas incontidas,um chorar pelos cantos, portas batidas,crescidas crias abatidas, abafadas, estremecidas...E foi assim... silêncios profundos, corpos separados,olhar mergulhado nas noturnas paredes a perfurar o teto,o pensamento encolhido e o ódio desperto...E foi assim... o desalmoçar sozinhos, a casa jogada,ausência de tratos e flores de plásticos nos vasos,se vestir no banheiro pra se desnudar por inteiro recato...E foi assim...dias profundos,TV sem nexo, sexo sem sexo.Casa sem mulher... um corpo sem alma,A indiferença devorando o amor como traça, em dolente calma.No pano de fundo, fantasmagóricas sombras femininas...vivas.E foi assim... bagagens no carro, a morada sem vida,o triste olhar do cachorro sem donos ,as plantas florindo sem sentido,e em cada um nevando toda a treva de um mundo perdido...E foi assim... que se apagou uma estrela escolhida,um coração num ipê tombado,uma melodia pagã tocando sem dono,e cada um com a imorredoura sensação nítida do abandono...E foi assim... ela se foi assim...ele se foi assim...Entre os perdidos e achados dentro de si,Aos frangalhos.Serão migalhas em outras vidas, reinícios sem fins,Para o Amor uma vez mais virar no que sempre é:mero folhetim...mera página virada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário