domingo, 12 de dezembro de 2010

XANINHA


Xaninha

( a todos que sofrem a dor de serem sózinhos , como eu...)

by nelson antonio

09-10-2009

Branquinha como o leite,
Nuns olhos água-marinha,
A minha linda Xaninha
É todo o meu deleite
Nem parece uma gatinha...
Mais parece um enfeite.

Gatinhos gostam de rato,
Outros comem até baratas .
A minha gosta é de trato
Passa os dias preguiçosa
No sofá da minha sala,
Ninguém pode incomodá-la.


À noite, aninha-se entre meus pés
Acolhe-se mas não fica quietinha
( Lambe-se toda mil vezes
Como se fosse um buliçoso pirulito
Com gosto de tuti-fruti... ),
O que me deixa aflito.

Quando me levanto se enrosca
Entre minhas pernas ainda bambas
Saídas há pouco da cama
E mal me deixa caminhar...
Tenho que fugir bem ligeiro
Pra me aliviar no banheiro .

Depois a gente se entende
Enquanto eu tomo café.
Ela roçando os meus pés,
Soltando graciosos miados ,
Bebe seu pratinho de leite
Com biscoitos amanteigados.

E assim mais um dia começa
Visto-me de um branco garboso
E ao sair de doutor para a lida
Deixo-a no sofá toda encolhida ...
Mandando-lhe um beijo gostoso
Vou viver meus sonhos sonhados!

Ah Xaninha você mal sabe, gatinha
Hoje todas as coisas mudaram
Quantas saudades suas ficaram
Agora que já não está mais aqui...
Sou um triste poeta correndo atrás de si
Por ser doutor atarefado de viver esqueci.

Sento-me neste mesmo velho sofá
E encolhidinho como você o fazia
Lambo minhas próprias feridas...
Tornei-me uma pessoa sózinha
Rodeado de filhos,amigos , mulher
E de uma multidão de doentes quaisquer
Mas minha alma que se foi se chamava Xaninha!!!

Um comentário:

  1. Nel querido!
    Coisa linda esse teu poema..é tão
    dolorosamente sentido...essa saudade, tão romanticamente
    presença
    em cada um de nós...sempre temos algo ou alguém de que se sinta essa falta...
    essa dor..essa saudade!
    Obrigada por esse momento lindo.
    bjs
    mavi

    ResponderExcluir