domingo, 12 de dezembro de 2010

CONFITEOR


Confiteor

Nelson Antonio




Foi-se o poeta por este mundo a fora,
foi contente mas como era triste vê-lo
tecendo nos corações cheios de aurora
a escuridao de seus versos lisonjeiros.


Pela estética encantada das meninas
expurgou sua bela e pura inspiração
e o céu da poesia quedou-se em finas
orvalhadas pela perda de um irmão


Por que trocar seu dom de artista nascer
em busca de tão tresloucada fama
por meio de um versejar que te profana ?

Responde-me a mente um pouco incerta:
- é o meu cantar à beleza tão aberta ...
Mas é a desventura do nada ser!

Nenhum comentário:

Postar um comentário