sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Paixão







PAIXÃO


Nelson Antonio

Quando eu era bem pequeno
E todos as coisas eram enormes
Aprendí a amar pelo medo
Um Deus-Jesus todo disforme


O corpo espástico em flagelo,
Cabelos sanguinolentos em desalinho...
O rosto rasgado já não era belo,
Tudo me era horror nos meus olhos de menino:


O cenário fúnebre, os panos roxos,
O murmúrio lúgubre dos penitentes,
E um caixão medonho com Jesus lá dentro...


À noiter, alucinado em constrição
Eu rezava aflito e implorava temente:
- Por favor, Jesus, não me pegue não !!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário