sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Metades




Metades

Nelson Antonio

Divido meu coração em duas metades :
Uma que deseja, se agita, se emociona e arde,
A outra que pensa, ruboriza e se faz covarde
Ante uma paixão insana, ilusória...mas de verdade!


Enquanto uma metade minha fica
Sonhando no azul das tardes,
A outra que também sou eu, aflita,
Foge sob os luares ... covarde!


Assim, como um sábio que não se apressa
Vou me dando o tempo todo do mundo
Na esperança que o rio encontre o mar profundo...


Mas a vida passa e com ela as promessas :
Sou viva lenha queimando no altar das paixões
E meu coração, cinzas acovardadas de emoções !.....

Nenhum comentário:

Postar um comentário